top of page

Estratégias para investir o valor a receber da restituição do IR.


Vamos pensar em três cenário para balizar a análise:

1) até R$ 1,6 mil (valor médio das restituições)

2) em torno de R$ 5 mil

3) R$ 16 mil (o teto)

Algumas premissas importantes:

Antes de começar a investir qualquer valor é muito importante ter a consciência do atual momento financeiro pessoal. Para isso, recomento um bom diagnóstico financeiro feito por um profissional planejador(a) financeiro(a).

Os profissionais planejadores financeiros identificam o perfil de risco do cliente, a necessidade de dinheiro para cada prazo e objetivos e definem de uma forma mais completa analisando os 6 pilares do planejamento financeiro qual a melhor estratégia seguir.

Para pessoas que estão com alguma dívida de curto prazo como: cheque especial, cartão de crédito, ou mesmo empréstimo pessoal o ideal é quitar dívidas já que nenhum investimento consegue superar a alta taxa de juros de empréstimos dessas modalidades.

Outro ponto importante é considerar para pessoas que ainda não tem reserva de emergência nenhuma priorizar essa construção para não cair em dívidas de juros altos no curto prazo em caso de imprevistos.

Já para pessoas que conseguiram receber restituição de valores se utilizando de estratégias como a previdência privada com a redução de até 12% da renda tributável anual o ideal é reservar esse valor já para o ano seguinte no PGBL o que contribui para uma estratégia contínua de mantendo o benefício máximo permitido pela legislação.

Vamos aos cenários possíveis dos valores sugeridos:

1) R$ 1,6 mil (valor médio das restituições)


Considerando esse montante para um passo inicial de investimentos o recomendável é começar constituindo reserva de emergência em ativos de baixo risco como em renda fixa (tesouro Selic, fundos de renda fixa, CDB, LCI, LCA) considerando a média de mercado da taxa de juros uma expectativa anual de 13,65% a.a bruto. Lembrando que é importante atentar para o IR devido na tabela regressiva para essa modalidade que começa em 22,5% nos primeiros 180 dias e cai até 15% após 720 dias, exceto para LCI e LCA que são isentos de IR. Para essa modalidade pensando em reserva de emergência o que deve ser priorizada é a baixa oscilação do valor investido e a facilidade de acesso ao dinheiro (liquidez).

2) em torno de R$ 5 mil

Para esse patamar de valor dependendo da composição do perfil e objetivos já é possível investir em renda fixa apenas considerando reserva de emergência ou atrelar a ativos com um pouco mais de risco como Superfundos de Multimercados com boa diversificação de carteira, considerando um horizonte mais de médio prazo, entre 2 até 5 anos. Nessa modalidade o risco é um pouco maior e, portanto, a oscilação e expectativa de retorno também.

3) R$ 16 mil

Considerando esse montante já é possível diversificar um pouco mais uma carteira de investimentos em classes de ativos como renda fixa, renda variável e multimercados, ou até mesmo com alguma exposição internacional. Reforço que o mais importante é saber quais objetivos devem ser atendidos com esse montante considerando o investidor. Nesse caso é possível por exemplo ainda reservar um percentual objetivando renda complementar no futuro numa previdência privada. Caso o investido aqui já tenha uma reserva de emergência constituída ele poderá dependendo do perfil reservar um percentual para investir em fundos de ações, fundos internacionais, ou até mesmo investir em ativos diretos como em ações, fundos imobiliários, ETFs, etc. Já para esse cenário é possível considerar um prazo mais longo acima de 5 anos ou mais de 10 anos considerando a previdência privada.

Quer bater um papo sobre o assunto? Vamos marcar uma conversa!




2 visualizações0 comentário
bottom of page