top of page

Estratégias para começar uma reserva de emergência. Onde investir e quanto guardar?


Começar uma reserva de emergência é uma decisão financeira sábia e fundamental para a estabilidade financeira em situações de imprevistos. Aqui estão algumas estratégias e considerações para quem deseja começar uma reserva de emergência:


Estabeleça um objetivo inicial: Comece definindo um objetivo realista para sua reserva de emergência. O valor ideal deve ser suficiente para cobrir de 3 a 9 meses de despesas essenciais. Isso inclui moradia, alimentação, despesas médicas, transporte e outras despesas fixas do seu orçamento mensal. Essa recomendação é uma média sugerida pela maioria dos planejadores e autores sobre o tema, mas eu consideraria você observar 3 pilares importante para determinar o valor ideal dessa reserva. Vamos a eles:


Qual a previsibilidade da sua renda: se você é um funcionário público, por exemplo, terá uma menor preocupação com a garantia do recebimento da sua renda, mas se você é um funcionário de empresa privada essa garantia já diminui um pouco. No caso de você ser um profissional liberal ou empresário o risco de incerteza dessa renda é muito maior. Nesses casos considere um valor de meses multiplicados pela suas despesas mensais diferentes para cada perfil de acordo com essa previsibilidade. Sendo 3 meses para funcionários público, 6 meses para funcionários de empresa privada e 9 meses para autônomos.


Quanto o seu orçamento familiar costuma variar ao longo dos meses: existem pessoas que tem menor previsibilidade do seu custo mensal, seja por falta de controle de consumo, ou por ter uma família maior com hábitos de consumo diferentes entre si, seja por indisciplina no uso do cartão de crédito ou comportamentos impulsivos de consumo. Nesses casos é imprescindível considerar 15% a mais de reserva financeira de margem adicional do valor do custo mensal familiar para amortecer essas oscilações possíveis.


O risco financeiro com seguros de vida, patrimônio e saúde: um pilar bem sensível também é o quanto essa pessoa ou família está gerenciando os seus riscos financeiros com contratação de seguros, seja segurando seu carro para o caso de roubo ou colisão, seja tendo um seguro incêndio para o seu imóvel, ou mesmo contratando um seguro no caso dos autônomos para no caso de uma incapacidade temporária de trabalhar a pessoa possa receber o valor de cobertura de renda diária para suprir essa necessidade. Ainda existe o seguro saúde e o plano de saúde para urgências, emergências, consultas e exames para não se ter surpresas com custos elevados de algum procedimento dessa natureza. Se a pessoa tem todas as coberturas necessária de forma bem ajustada ao risco não é necessário majorar a reserva de emergência, mas se ela tem uma cobertura de seguros intermediária considerar pelo menos 15% a mais de reserva, para pessoas que possuem uma gestão ruim dos seus riscos e seguros o ideal é majorar em até 30% a reserva de emergência.


  1. Calcule suas despesas mensais: Para determinar quanto deve representar sua reserva de emergência, some todas as despesas mensais essenciais, como aluguel/moradia, contas de serviços públicos, alimentação, transporte e despesas médicas.

  2. Defina uma meta mensal ou anual: Com base no valor necessário para cobrir suas despesas essenciais, defina uma meta de economia mensal ou anual para sua reserva de emergência.

  3. Automatize suas economias: Configure transferências automáticas para uma conta de poupança dedicada à reserva de emergência. Isso ajuda a garantir que você economize consistentemente.

  4. Corte despesas não essenciais: Identifique despesas supérfluas e considere reduzi-las para acelerar o acúmulo de sua reserva de emergência.

  5. Utilize rendas extras: Bônus, renda extra ou qualquer dinheiro inesperado que entrar em sua vida deve ser direcionado para construir a sua reserva de emergência necessária adequada.

  6. Crie um fundo inicial: Se você não tem uma reserva de emergência e está preocupado com imprevistos, pode ser útil começar com um fundo de emergência menor e, gradualmente, aumentá-lo.

  7. A sua reserva de emergência deve ser alocada ou investida em veículos de investimentos com alta liquidez e baixo risco: Mantenha sua reserva de emergência em uma conta líquida, como uma conta poupança, fundos de investimentos com liquidez diária, CDB, fundos simples com taxa zero. Certifique-se de que o dinheiro esteja acessível quando necessário e que não existe risco algum de oscilação ou variação desse dinheiro no curto prazo. Objetivo desse dinheiro guardado não é rentabilidade e sim funcionar como um colchão de segurança para amortecer uma possível queda da renda ou um imprevisto muito alto que precise estar coberto.

  8. Mantenha o dinheiro separado: Evite misturar sua reserva de emergência com seu dinheiro do dia a dia ou investimentos de longo prazo.

  9. Revise periodicamente: À medida que sua situação financeira evolui, revise e ajuste sua meta de reserva de emergência. À medida que suas despesas mudam ou você tem aumentos de renda, atualize o valor da reserva.

  10. Evite resgatar a reserva a menos que seja uma verdadeira emergência: A reserva de emergência deve ser usada apenas para situações críticas, como desemprego, despesas médicas inesperadas, reparos urgentes e questões familiares que necessitam de urgência para resolver.

  11. Conclusão: Considerando essas premissas e pilares uma reserva de emergência pode varias de 3 a 14 meses das suas despesas mensais pessoais ou familiares. Cada perfil de renda, estilo de vida e gestão de risco vai necessidade de mais ou menos meses do valor múltiplo do custo mensal a ser guardado num fundo de reserva de emergência adequado. A reserva de emergência será um importante componente de tranquilidade e equilíbrio de suas finanças, fazendo você e sua família dormirem tranquilos. Importante salientar de que quando essa reserva já está bem constituída, o seu excedente poderá ser alocado em outros objetivos e até podendo funcionar como uma reserva de oportunidade para situações de aquisição de algum ativo ou serviços que em determinado cenário ficou mais interessante comprar ou contratar com um bom desconto. Enfim, as vantagens de se planejar se antevendo a situações com maior segurança e flexibilidade são muito grandes.



Se você quer bater um papo sobre esse tema e ter um acompanhamento de um planejador financeiro ao seu lado para te ajudar com o seu planejamento financeiro é só entrar em contato.



8 visualizações0 comentário
bottom of page